Percy Jackson Olympian Alliance

Missão One-Post para Berit (ão ão ão, eu sou um Lestrigão!)

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Missão One-Post para Berit (ão ão ão, eu sou um Lestrigão!)

Mensagem por Convidado em Dom Maio 05, 2013 3:46 pm

As Ninfas das Árvores irrompiam por todas as partes da floresta. Elas gritavam e pediam ajuda, mas como era noite, todos estavam em volta da fogueira e não as escutavam. Todos a não ser Berit. Ela vagueava pela orla da floresta pensando em táticas para o próximo caça a bandeira.

***

Íris se compadeceu com o desespero das ninfas e precisava fazer alguma coisa para ajudá-las. Não poderia surgir bem na frente de todos na fogueira e então percebeu que uma semideusa vagava não muito longe e que já havia percebido que alguma coisa estava errado com os gritos das garotas-árvores.

O ar tremulou ao lado de Berit e uma voz doce saiu através da Mensagem de Íris.

- Ajude as ninfas, semideusa. Ajude-as e será recompensada. – A voz parou por um momento e os gritos ecoaram no local. – Elas te contarão o que está acontecendo e o que fez isso com elas.

REGRAS:
# Um lestrigão está atacando as árvores e todas as florestas. Ele ainda é de certa forma uma “criança”. Apenas um metro e noventa de altura.

#Conte o motivo que você foi andar perto da floresta, o momento que ouviu as Ninfas e a reação pela Mensagem de Íris.

#Pode levar quantas armas quiser.

#Narre a batalha e vença-o podendo usar os poderes até o nível 2.

#Conte para as Ninfas que você derrotou o Lestrigão e acalme-as.


Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Berit (ão ão ão, eu sou um Lestrigão!)

Mensagem por Berit A. Njorthrbiart em Ter Maio 07, 2013 12:25 pm



One-Post
Ena, ena ena, eu sou filha de Atena ò.ó
Eles não perdiam por esperar, aquele timinho iria ver só! NÓS com toda certeza iríamos ganhar o próximo jogo de Caça a Bandeira. Mesmo correndo o risco de ser pega fora da fogueira, não me importava; eu estava me precavendo desde já, andava por todo o território vendo quais os pontos mais propícios para escondermos nossas bandeiras, e aonde cada membro do grupo ficaria. Na direita ficariam alguns filhos de Hermes e Deméter que estavam do nosso lado na esquer...

- Wow! - Eu pulei para trás assim que um brilho desconhecido começou a se formar do meu lado. Era uma Mensagem de Íris!

Depois de alguns segundos uma caixa mais ou menos do tamanho de uma televisão de 32'' estava bem diante dos meus olhos, uma imagem saía dela, mas não era tão nítida quanto a voz que me dizia para ajudar as ninfas, mas, o que isso queria dizer? Tive outro sobressalto quando gritos irromperam das entranhas da floresta e a mensagem se desfez. De uma única coisa eu tinha certeza: havia algo solto na floresta, e certamente não era nada de bom.

Olhei para meu próprio estado: uma garota vestindo os jeans casuais e a camiseta laranja desbotada, all stars que já não se era mais possível identificar a cor; na bainha, somente minha adaga; no braço esquerdo, minha pulseira mágica, e pendendo sobre meu pescoço, o colar que ganhará de minha mãe. Meu boné estava dobrado na minha mão e não perdi tempo, colocando ele sobre os cabelos amarrados e adentrando o emaranhado de folhas escuras, que pareciam me observar sobre todos os ângulos.

Os chiados continuavam, pareciam estar em todos os cantos, e de fato estavam, ao parar ofegante para respirar encostada em um carvalho, notei que a árvore em si chorava, as ninfas estavam desesperadas, eu tinha de ajudá-las, mas antes de tudo, tinha de aclamar a mim mesma. Repassei tudo até o momento: Eu tinha recebido uma MI me pedindo para ajudar as ninfas, elas corriam um perigo que ainda não era de meu conhecimento:

- Hey - sussurrei para a árvore ao meu lado - Aqui, eu sei que você não consegue me ver, mas estou aqui. Ouça bem, eu preciso saber o que está acontecendo. Poderia me contar -

Algum tempo se passou e nada aconteceu, eu já estava desistindo quanto houve uma 'mudança' extraordinária bem na minha frente: o carvalho não era mais carvalho, e sim uma jovenzinha de pele esverdeada e cabelos sedosos da cor do mato. Estava vestindo o que me pareciam folhas e olhava para baixo. Suas feições me lembravam bastante os elfos, com orelhas pontudas e nariz fininhos.

- Olá - ela falou, mas sua voz não era mais do que um tilintar - É ele!, sabe, o grandalhão. Ele está machucando nossas irmãs - ela choramingou. Mantinha o olhar fixo no chão, já que não conseguia me ver. - Por favor, ele vai me machucar também. Vai matar a todas nós - o choro se tornou cada vez mais alto, e ela voltou a ser a grande árvore.

Eu já tinha enrolado demais. Comece a ouvir as pisadas do 'gigante' fazerem o chão tremer. "Vou vencê-lo, seja ele o que for" Com esse pensamento positivo, a luta começou.

Duas mãos maiores do que o normal dobraram os arbustos da frente, deixando nítida sua face: Era um lestrigão! Deveria estar sentindo meu cheiro, porque olhava desesperado para todos os cantos. Me aproximei tentando não fazer barulho - o que se tornava quase impossível, vendo que eu estava pisando sobre vários galhos e folhas secas - e me escondi detrás de um tronco.

- Mim querer matar! Mim não gostar árvores! Mim ser um bebê malvado! - Sua voz era ainda mais repugnante que a aparência e... espere um pouco? Ele era um BEBÊ? Fiquei boquiaberta, o cara tinha quase dois metros de altura e anda era uma criancinha, sendo que eu com 16 anos não chegava nem a 1.60. Que humilhação!

Deixando os assuntos pequenezes de lado, entendi finalmente uma coisa: Ele nunca ia me encontrar a menos que eu aparecesse. Tirei o boné e deixei-o caído ali mesmo. Ativei minha espada e o escudo. Tentei fazer uma cara assustadora ( que provavelmente saio parecida com uma careta) e falei:

- Que tal provar gosto da morte, seu, Zé Mané! -

- Mim ouvir voz de menina má - seus olhos pularam das pálpebras - Mim querer matar menina má! Menina má assada na fogueira é bom - Isso era certamente uma forma de dizer que eu viraria seu jantar, ou talvez de toda a sua família de Zés e Marias - Manés.

Não perdi mais tempo debatendo com ele a forma certa de conjugar os verbos, mesmo que o jeito com que ele falava me desse vontade de chorar... Levantei a lâmina da espada que reluziu na luz da Lua e corri para junto dele. Seu primeiro ataque me foi quase fatal: arremessou uma pedra de alguns quilos em minha direção, se não tivesse me abaixado em questão de segundos eu não seria mais o jantar dele, mas sim a exclusiva manteiga de menina má. Quando o Zupt da rocha tendo contato com o chão, passou, me levantei e girei a espada no ar, conseguindo fazer uma fina linha de sangue escorrer de sua perna direita, mas o bicho pareceu sequer notar. Me segurou pela gola da blusa como se eu fosse uma pena e me ergueu no ar.

Me debati com todas as forças mas ele não me largava. Tentei fazer um pequeno ferimento na sua mão e acabei ultrapassando meus limites: Eu arranquei um dedo do canibal idiota ('-'); imediatamente ele gritou e me jogou com força, acabei (por sorte) caindo sobre um amontoado de folhas, o que tornou a queda macia. Enquanto ele chorava a perda, olhei para meu escudo e tive uma ideia! Um, dois, três e...

Bati com toda a força que encontrei nas partes baixas do monstro, ele paralisou, olhou pro nada e:

- AAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH - Senti até um pouquinho de pena do bichinho, suas lágrimas pareciam uma mini-chuva salgada, ele pulava em uma perna só gritando e ofegando.

E, e um belo e histórico momento, tropeçou na edra que antes tentara me ferir e caiu de bruços no chão. " É o seu fim"

Cravei a espada na base da sua coluna e em seguida, ele voltou ao pó do qual viera. Foi fácil!

* * *

Depois de recolher meus objetos, tentei fazer outro contado com as ninfas. Acariciei o tronco de uma delas:

- Pronto, ele se foi! O perigo acabou. - Como ela não respondera, caminhei a passos largos para a saída da floresta, e quando já estava no fim, uma mãozinha me tocou o ombro:

- Obrigada! - a ninfazinha do carvalho dissera - Você salvou a gente! - E desapareceu outra vez.

Olhei para trás, aliviada e feliz, decidia a continuar armando minhas táticas somente quando o sol nascesse no horizonte.

Armas:
Adaga de Bronze [ Item Padrão ]

Boné da Invisibilidade >> O deixa invisível e pode ser personalizado de acordo com seu gosto. [By: Perséfone] [Obrigatório]

Pulseira da Inteligência >> Assim que ativada, se transforma em uma espada de bonze celestial e o punho também pode ser personalizado. Ela está disponível em todas as cores. [By: Perséfone] [Obrigatório]

Colar de Coruja >> Ele está disponível em dois materiais : Ouro e prata, você escolhe. Quando ativado, se transforma em um escudo. [By: Perséfone] [Opcional]

Legenda:
Narração | Minhas falas | Falas da Ninfa | Falas do monstro


Thanks @Lilah for MDD

-------------------------------- PJ ϟ Olympian Alliance --------------------------------


Berit Astryd Njorthrbiart


Filha de Perséfone ✖ Guerreira de Apolo ✖ Alone
avatar
Berit A. Njorthrbiart
Guerreiros do Sol
Guerreiros do Sol

Mensagens : 96
Data de inscrição : 26/04/2013
Idade : 20

Ficha Meio-Sangue
Nível: 2
HP:
105/105  (105/105)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Berit (ão ão ão, eu sou um Lestrigão!)

Mensagem por Convidado em Ter Maio 07, 2013 5:20 pm

A letra do seu template é minúscula, socorro. ç.ç Mas fora isso, adorei. Pouquíssimos erros e essas coisas.


Congratulations > 140xp

Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Missão One-Post para Berit (ão ão ão, eu sou um Lestrigão!)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum